Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Wait aí uma beca

A minha vida não é fácil

Wait aí uma beca

A minha vida não é fácil

A minha primeira embalagem de Voltaren

Na semana passada quando estava prestes a fazer um golo daqueles de fazer levantar a plateia, se houvesse alguma, e que se tornaria viral, se houvesse alguém a filmar, quando tiram-me a bola e o remate acertou com toda a força no chão e no pé do jogador. A dor foi alguma mas continuei o jogo sem grandes queixas.

No dia seguinte fiquei com um andar estranho mas com o passar do tempo a dor foi desaparecendo, já mal a sentia quando chutava a bola para alegria do Oscar. O pior foi o jogo da semana seguinte. Depois de alguns remates com força a dor apareceu para arreliar e achei por bem ir para a baliza e ser um Patrício desta vida.

Sempre achei que era um Toni de Borracha, saía dos jogos de futebol algo esfolado e por vezes tinha que por gelo mas mazelas acabavam por durar pouco tempo, mas afinal as borrachas também quebram. Homem que é homem aguenta a dor mas deixei o orgulho em casa e fui à farmácia comprar uma embalagem de Voltaren.

Já tinha usado Voltaren no passado quando tive torcicolos e outras dorezitas mas foram situações pontuais, nunca tinha precisado de comprar para ter em casa. Adquiri uma pomada pequena e estive prestes a arrancar a cena que sela a bisnaga à dentada até que percebi que há um truque com a tampa para a remover. Não sabia bem se devia colocar muito ou pouca no sítio mal tratado e depois de deixar uma quantidade que achei ideal esfreguei com a força que achei necessária mas tendo a noção que daqui a oito horas estaria a fazer o mesmo.

Estou ansioso por começar a partilhar conversas com as pessoas mais idosas sobre as dores localizadas e sobre o bem que a pomada faz. Mesmo com o pé dorido ainda fui dar uma corridita porque Homem que é Homem não tem dores.

 

                                                    lesão.jpg

 

    

2 comentários

Comentar post