Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Wait aí uma beca

A minha vida não é fácil

Wait aí uma beca

A minha vida não é fácil

O Santo António já se acabou

Apita o comboio e eu na fila para comprar o bilhete. Cheguei dez minutos antes, mas como só havia uma máquina disponível acabei por ficar na estação por mais uns tempos. O Santo António até pode ser casamenteiro mas não há relatos de ser pontual.

Quase que é preciso um milagre para encontrar alguém durante a noite mais movimentada de Lisboa. Acaba-se, muitas vezes, por encontrar conhecidos que não procuras e até pode aparecer um senhor, que nunca viste na tua vida, em tua direção com a boca escancarada e a língua de fora.

Pelas ruas é possível ouvir os clássicos da música pimba, alguns temas obscuros e até algumas raridades. Em Alfama só era permitido passar música portuguesa mas juro que cheguei a ouvir reggaeton num recanto do bairro. Se a polícia da música pimba os descobrisse, eram multados e ficavam com a integridade para sempre manchada.    

Estivemos quase sempre em movimento e por vezes a única certeza que tínhamos era a que estávamos em Lisboa. Só nos Santos é que o rabo da Ágata chega a servir como ponto de referência. Quando a noite já vai longa, é decidido por unanimidade que atravessar Alfama é uma boa ideia. Numa questão de segundos entras num comboio humano, que pára em todas as estações e apeadeiros, segurando com toda a força a carruagem da frente, correndo o risco de ser atingido pela cauda de um cabeça de sardinha e com esperança que o maquinista seja expedito.

O regresso a casa é feito com uma auréola luminosa na cabeça num comboio cujo um dos passageiros é um rato branco. Mais uma vez esqueci-me de usar uma app para registar o número de quilómetros que fiz.

No dia seguinte, mesmo com a roupa tirada e banho tomado, o cheiro a fumo continuou a fazer companhia. A noite foi passada num arraial em Carnide, numa mesa onde circularam algemas, óleos, murros artificiais e o nervoso empregado Francisco, que tinha sempre uma justificação peculiar para os percalços da cozinha e que gostava de se encostar ao meu amigo que tinha um penteado novo.

 

 

                                                     manjerico.jpg

    

2 comentários

Comentar post